Contactos para leitoras: womenfashionblogpt@hotmail.com
Contactos para marcas:parcerias_womenfashionblog@hotmai.com
 
Segunda-feira, 2 de Fevereiro de 2015
Quando uma relação acaba...

Apesar de não costumar abordar a minha vida pessoal no blogue, sinto que vos devo uma explicação pela minha ausência repentina e sem explicação. 

 

Tudo se deve ao fim de uma relação. 

Finalmente decidi encerrar este ciclo da minha vida que me fez muito feliz, vivi momentos inesquecíveis com esta pessoa e pequenas coisas, como ficar acordada até de madrugada a conversar com ele, vê-lo sorrir ou sorrir devido a ele fazia-me pensar que eu não precisava de mais nada na vida para estar completa, porque estava ali tudo o que eu precisava, naquela pessoa. 

Mas felizmente ou infelizmente acabou. E foi por isso que estive tão ausente. Quando dedicamos tanto a uma pessoa, esquecemo-nos de nós próprias e talvez foi isso que me aconteceu. Parecia que o resto do mundo não importava, e não importava também o quanto essa pessoa me fazia chorar, porque quando ficava tudo bem eu só me lembrava do quanto ele me fazia sorrir.... Do quanto eu o amava e de como seria impossível terminar ou imaginar a minha vida sem ele.

E quando ele se «foi embora» parece que perdi o chão, parece que levou a minha alma com ele.

E torna-se complicado porque o meu coração e a minha cabeça mentalizaram-se que eu amava aquela pessoa e jamais iria conseguir amar outro alguém, e por mais que estivesse à vista que não valia à pena continuar com algo que nunca daria certo, dentro de mim havia sempre uma esperança que se eu perdoasse hoje, amanhã seria diferente, e ficaria tudo bem. 

Uma esperança que não passava de algo que eu queria demais, mas que jamais iria acontecer.

E não conseguia imaginar a minha vida sem ele. Mas um dia tinha que ser, não se pode continuar a dar corda a algo que não tem futuro.

Fui buscar forças ao inferno. Não sabia, nunca se quer imaginei ter a força que tenho tido nestes dias. Não é fácil e só quem passa por um amor não correspondido, por o fim de uma relação ou algo do género consegue entender o que estou a dizer.

Porque eu tinha todos os motivos e mais alguns para acabar com algo que me fazia mais mal que bem, mas por mais que a minha cabeça diga que já chega, o meu coração chama sempre por ele. 

Mas acabou. E parece que não há luz ao fundo do túnel, que nada mais faz sentido, a tristeza invade a nossa mente, lágrimas, lágrimas e mais lágrimas. Parece que ele era a única pessoa do meu mundo e ao perdê-lo fiquei sozinha, agora e para sempre quando tenho uma família e amigos maravilhosos pessoas que também amo, mas que não são capazes de substituir o vazio que ele deixou na minha vida por mais que tentem.

É uma luta constante, cabeça vs coração. E o mais frustrante é que eu fiz todas aquelas coisas que se faz quando uma relação termina: chorar dias a fundo, comer chocolate, ficar o dia todo em casa a ver filmes românticos, desabafei com as minhas melhores amigas, saí, fui às compras, fiz algo que já queria fazer à muito tempo, tentei passar o mínimo tempo possível em casa, emagreci sem fazer dieta, mas é tão complicado. 

Parece que nada mais faz sentido. Eu deixei de fazer tudo aquilo que mais gostava de fazer, porque simplesmente não tinha vontade, porque parece que sem ele nada fazia sentido. 

E doía tanto, aliás, ainda dói. Tentava dormir e não conseguia, ás vezes ainda não consigo, porque é quando estou sozinha na cama que penso em tudo.

Apaguei-o completamente da minha vida, desde redes sociais a presença física e mesmo assim ele ainda continua tão presente. 

É preciso ser muito forte para deixar livre quem amamos. Por mais amor que haja, senão funciona não vale a pena continuar com algo que não teria futuro por conflito de personalidades, falta de confiança e tudo mais. Não só estava a condicionar a minha felicidade como a felicidade da pessoa que eu mais amava, e ainda amo. 

E foi por isso que fechei este ciclo da minha vida. Quando começo uma relação dou tudo de mim aquela pessoa, não sei amar pela metade, entregar-me pela metade... só sei entregar-me de corpo e alma e é por isso que quando acaba, sinto-me um lixo, perdida, desamparada, vazia. 

Acho que todas as mulheres são um pouco assim. Deixei para trás tudo o que mais gostava porque não tinha vontade nenhuma de fazer pequenas coisas como, atualizar o blogue, maquilhar-me, vestir uma roupa que me deixasse confiante. 

A minha auto-estima caiu a pique. Acho que nós mulheres, passamos todas pela fase do desleixo no visual quando a relação acaba.

Felizmente já passei essa fase e agora tento todos os dias vestir algo que me faça sentir bem, para que eu possa estar confiante e pensar sempre que eu sou a pessoa mais importante da minha vida, e que não posso permitir que outro alguém me destrua desta maneira. 

Se já passou? Não. Ainda o amo como no primeiro dia, ou talvez mais. Há muita coisa que o tempo nunca vai apagar, e que o meu coração faz questão de me lembrar todos os dias. 

Mas é mesmo assim. Quando acabamos uma relação nos primeiros dias chorámos porque não acreditamos no mal que ele nos fez. «Eu não acredito que ele me traiu. Como é que ele foi capaz?» E todas as razões andam à volta da nossa cabeça durante dias. 

Mas com o passar do tempo, a raiva, a mágoa e a revolta dão lugar á saudade, que para mim será sempre o pior de todos os sentimentos. E porquê?

Porque a saudade já apagou da minha cabeça todas as coisas más que ele me fez, e só me trás ao pensamento todos os momentos maravilhosos que passei com ele e de que como tenho saudades disso. E apetece tanto voltar. 

Mas eu estou rodeada das pessoas certas que me têm dado o maior apoio, os melhores amigos do mundo, rodeiei-me também de pensamentos positivos e só penso que vou conseguir. Eu sou forte, e vou ultrapassar. Acredito que ainda vou chorar muitos dias, que ainda vou querer voltar muitas vezes, mas não vou voltar a cair. 

A vida continua, e talvez um dia se abra um novo ciclo, quem sabe se com ele ou com outro alguém que me dê o devido valor. 

É irónico porque ao mesmo tempo que sinto um peso no peito, sinto-me também mais leve. Porque já não há a preocupação, já não há energias negativas, já não há discussões...

 

Estou inevitavalmente a chorar baba e ranho enquanto vos escrevo este pequeno desabafo, porque custa. Custa muito. Só quem vive um grande amor, sabe o quanto custa quando ele acaba, mas se eu cheguei até aqui não vou desistir.

 

A todas as meninas/mulheres que estão a passar pelo mesmo, não se deixem ir abaixo, e nunca te esqueças que tu nunca podes amar mais alguém do que te amas a ti própria, porque se o fizeres, estás a dar à outra pessoa o poder de te destruír.

 

E este foi um pequeno desabafo. Espero que compreendam a minha ausência, vou voltar a dedicar-me ao blogue ao máximo, porque é também uma forma de me abstrair e ocupar o meu tempo a fazer aquilo que mais gosto! 

 

Beijinhos, 

Joana



publicado por Joana às 21:03
link do post | comentar | favorito

5 comentários:
De Susana a 2 de Fevereiro de 2015 às 22:54
É claro que compreendemos a tua ausência, mesmo que não devas justificações.

É sempre complicado mas o mundo não acaba é por mais difícil que seja temos de seguir em frente e acima de tudo valorizarmo nos.

Segue em frente, acredita em ti. Força muita força !

Beijinho
Susana
Www.blogdumaprincesa.blogspot.pt


De Diana Raquel Oliveira a 2 de Fevereiro de 2015 às 23:56
Sei o que é sofrer bastante por amor e identifico com algumas passagens que aqui li. Espero do fundo do coração que um dia consigas sentir te livre como um passarinho,e que voltes a sorrir a 100%. :)
uma beijoca * e força*


De Mari R Malho a 3 de Fevereiro de 2015 às 00:22
Joana, entendo-te perfeitamente... O importante é que aos poucos e no seu ritmo vás voltando à tua vida e descobrindo algo novo para lhe ajudar a seguir em frente. Fico muito contente que tenhas conseguido vir aqui e partilhar conosco algo tão íntimo.

Beijinhos,
Mari
http://marirmalho.blogs.sapo.pt/


De Anna Carolina Santos a 18 de Fevereiro de 2015 às 06:08
Te entendo completamente. Cada palavra, cada vírgula, cada suspiro em cada frase escrita, cada lágrima escorrendo, quando uma situação estranhamente muito parecida aconteceu comigo eu não estava só, tinha um feto de 8 semanas dentro de mim. E eu te digo, não desista, siga em frente, não vai ser fácil, vc não esquecerá dele e nem muito menos deixará de amá-lo, só aumentará o amor, mas procure direcionar esse amor por vc mesma, pelas pessoas ao seu redor, seus afazeres. Pra mim não foi nada fácil, afinal eu tinha que estar bem pelo meu filho, hj meu bebê está aqui do meu ladinho dormindo, ele tem 1 ano e 5 meses. Foi e é o meu maior motivador. E eu digo: Um dia passa. Vc deixará de pensar tanto nele, mas aindavai pensar dia sim dia não. Siga sua vida baby e o destino cuidará do resto. BE STRONG! !!! Bjos


De Cristiana a 18 de Fevereiro de 2015 às 22:05
Força! Sei perfeitamente o que isso é e sei bem que custa imenso.

Beijinhos e força!

http://be-a-realprettywoman.blogspot.pt/


Comentar post


Sou a Joana e tenho 21 anos. Sou uma apaixonada por moda e beleza desde sempre, e escrever é algo que gosto muito. Decidi aliar todos estes gostos e aceitei o convite para no ano de 2008 ser a administrador principal do Women Fashion. Aqui partilho um pouco de tudo. Falo dos meus desejos, das minhas aventuras, do meu estilo. Partilho o meu vício por maquilhagem e mostro as minhas compras, escrevo sobre algo novo que comprei e experimentei e gostei(ou não). Escrevo principalmente o que me vai na alma. Sejam bem-vindos!
online
Flag Counter
pesquisar
 
Parcerias







Romwe - The Latest Street Fashion


Instagram
Recomendo

Haute Couture
Mais Feminices
Pretty Simple
Electric Vanilla
arquivos
tags

todas as tags

posts recentes

Tendências de Verão - Mac...

A minha experiência com b...

Rotina Capilar - Tudo o q...

Favoritos do momento - Co...

À terceira é de vez!(atua...